Vamos a la playa oh oh oh oh …

imagem artigo Sol

O Verão chegou, e com ele os dias de sol! MAS (e existe sempre um mas!) todos nós sabemos que o sol pode ser potencialmente perigoso. Há imensas campanhas publicitárias, especialmente nesta época, que alertam para os seus perigos – o sol pode provocar os escaldões (quem nunca apanhou um que ponha o dedo no ar…), mas os seus raios também podem ter consequências nefastas a longo prazo,é responsável pelo envelhecimento da pele, rugas, manchas e sinais, e é um dos principais responsáveis pelo aparecimento de vários tipos de cancro da pele, dos quais o mais maligno é o melanoma. Por cada escaldão que apanhamos o risco de melanoma duplica!

Todos somos suscetíveis aos seus perigos, mas as crianças são um grupo ainda em maior risco. E porquê? As crianças são imaturas em todas as suas funções biológicas e a pele não é exceção. A pele das crianças é mais fina e menos melanizada que a dos adultos, o que lhe confere menor eficácia na protecção contra os danos da radiação solar. Por outro lado, os danos que o sol provoca na pele vão-se acumulando ao longo da vida, portanto se a pele é agredida logo desde a infância, os danos que acumula vão sendo cada vez maiores. A exposição solar está sempre presente na vida das crianças: não só quando vão à praia, mas também quando vão brincar ao jardim, no recreio da escola ou enquanto passeiam na rua num dia de sol.

Então, mas… vamos fechá-los dentro de casa? Vamos evitar as idas à praia? Vamos arruinar férias em família? Não! Há várias coisas que podemos fazer para proteger as crianças do sol. A primeira passa por uma regra muitíssimo difundida e de que quase todos já ouvimos falar: evitar o sol nas horas de maior calor. As horas consideradas seguras são até às 11h da manhã e após as 17h da tarde (entre as 11h e as 17h podemos sempre aproveitar para almoçar e dormir uma sesta 😊).

Quando as crianças estão expostas ao sol, mesmo nas horas consideradas seguras, devem usar-se “barreiras” que as protejam da radiação UV. E estas barreiras são tudo o que se interpõe entre os raios de sol e a nossa pele. A primeira barreira pode ser a roupa: roupas claras, leves e soltas, que permitam à criança brincar e com as quais esteja confortável (e se forem giras, melhor). A eficácia desta barreira vai depender de vários fatores relacionados com a própria roupa: o material de que é feita, a espessura, o espaço milimétrico que existe entre as fibras de tecido, mas seja qual for o grau de proteção, e embora esta barreira não seja intransponível (podem apanhar-se escaldões de t-shirt vestida!), ela não deve ser esquecida. Tal como o chapéu de abas, que faz mais sombra e é mais eficaz que um boné, e os óculos de sol. Os óculos de sol têm que ter protecção contra os raios UV, porque caso contrário podem mesmo ser prejudiciais. Uns óculos sem protecção UV (que se encontram por vezes à venda em lojas de fácil acesso) fazem sombra e dão uma falsa sensação de proteção mas podem provocar lesões oculares. E afinal quem é que não adora ver uma criança com um mega chapéu de abas e uns óculos de sol, cheia de estilo?

E por fim, mas não menos importante, o protetor solar. Existem imensas variedades no mercado: em óleo, em creme, em espuma, com embalagens azuis, brancas, laranjas…! Independentemente do aspeto o que importa é que devem ser de largo espectro, o que significa que na embalagem deve dizer que protegem contra os raios UVA e UVB.

O protetor solar deve ser aplicado antes da exposição solar e depois novamente no mínimo a cada duas horas. É verdade, pode ser um pouco aborrecido. Mas pior é termos as nossas crianças mais bronzeadas do que nós! Deve ser escolhido um protetor resistente à agua, mas ainda assim deverá ser reposto após os mergulhos ou períodos prolongados na toalha. Aproveitem e ponham as crianças a fazer desenhos com creme nas costas umas das outras, ou a brincar aos índios com riscos de creme na cara. O protetor deve ser aplicado uniformemente por todo o corpo, numa camada “generosa” – o equivalente a uma colher de chá para a face e pescoço, outra para cada braço, 2 colheres de chá para o tronco e mais 2 colheres para cada perna (basta imaginar, não precisam de levar a colher de chá para a praia! 😊)

Como em tudo a prevenção é essencial!

O Verão está aí e todos podemos aproveitar o sol mas… com cuidado!

SF

(sem filtro e médica de crianças)

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s