“Do you Tinder me? O novo engate de verão?

tinder 2No meu tempo ( e felizmente  já posso começar a frase desta forma), sabíamos que sair à noite, ir a um bar ou a uma discoteca  nos valia um bilhete para um flirt ou “engate”. Mas era um  flirt esforçado, olhávamos para o  tipo mais giro e se tivéssemos a sorte dos nossos olhares se cruzarem  provávelmente dali a 10 minutos tínhamos uma bebida grátis , um sorriso e só depois disso um aceno com a cabeça como quem diz” obrigada”. Daí a menos de nada um pouco de conversa, uma troca de números de telemóvel e um telefonema (ou não) no dia seguinte.

 

Hoje em dia parece-me que que o flirt está em risco, essa figura que nos alimentava o ego e nos pagava as bebidas tornou-se obsoleta.

Falava com o Miguel e perguntava-lhe: -Mas porque raio usas tu o Tinder? , És um homem giro e interessante, não achas que qualquer miúda ia gostar de ti?

-Com o Tinder não perco tempo, escolho uma miúda, faço um like e se ela também fizer marcamos um encontro.- Disse-me o Miguel.

Fiquei plenamente convencida que o Tinder é apenas e nada mais  que sexo, fácil e barato, sem  trabalho, sem rejeição. Escolhemos alguém como num catálogo, de preferência perto de nós, e dali a pouco estamos a marcar um encontro com alguém que só conhecemos pelo like  no seu perfil.

O Miguel apresentou-me a Ana , tinha-a conhecido através do Tinder também, encontraram-se algumas vezes,mas nada mais do que sexo, Ana é casada.

A Ana disse-me que usava esta aplicação porque sempre tinha sido tímida e na verdade não tinha muita paciência para as investidas masculinas que lhe soavam sempre a falso, disse-me que assim era o que era. A Ana tem uma vida profissional muito ocupada e por vezes viaja, é quando utiliza mais a app. À noite, quando se sente mais sozinha, escolhe alguém por perto com quem se possa encontrar no seu quarto de hotel, já se encontrou com homens mais novos, mais velhos , solteiros e casados. Há de tudo, diz-me ela. Há muitos homens casados e muitas mulheres também. Já não acredito que as pessoas sejam fíeis , os casamentos estão condenados a estas traições sem sentido  mas que de uma forma ou outra parecem apimentar as relações. Diz-me sem pudor que já teve “quecas ” melhores que outras. Perguntei-lhe pelo Miguel, o que teria acontecido se tivessem continuado a encontrar-se. Respondeu que existe quase um código de honra entre os utilizadores, que nunca se encontram mais que três vezes, não sabe porquê, mas é assim. Três vezes e cada um vai à sua vida. Prontos para o próximo perfil.

Nem todas as histórias são felizes, existem muitos curiosos que têm a aplicação só por curiosidade, ou então esperam por um dia em que tenham coragem para o tal “like” que lhes alivie a alma. Para muitos outros é já um vício, uma forma de passar o tempo. Desvirtua-se o interesse puro , mesmo que com segundas intenções, para dar lugar apenas e só à concretização.

E é assim que o Tinder veio revolucionar a vida sexual dos portugueses e a verdade é que serve para todos, encontramos pessoas mais ou menos conhecidas, turistas em viagem, casados e casadas, solteiros e solteiras. Uma pergunta, uma resposta e tudo acontece em pouco tempo. Um adeus até à próxima e o tinder já surtiu o seu efeito. Já serviu para colmatar a solidão de alguém, para alimentar falsas expectativas, para dar uma breve impressão de interesse, para corresponder a uma qualquer necessidade ou vício. Psicólogos para quê quando temos o tinder?

Quanto a mim, continuo a preferir o “flirt” sem app. Aquele que nos acontece quando menos esperamos, na fila do supermercado de cabelo apanhado num rabo de cavalo manhoso, ou aquele que já estamos à espera que aconteça, cheirosas e arranjadas, quando saímos à noite e dançamos daquela maneira sexy, certas que estamos a impressionar o deus grego que está a olhar para nós. Aquele flirt que acontece inocentemente quase sem nos darmos conta ou aquele totalmente planeado. Esse mesmo, esse que nos dá luta, nos causa um friozinho na barriga e borboletas no estômago. Esse que nos faz viver. Não sou mulher de Apps. Definitivamente prefiro homens a sério , que não se escondem atrás de um perfil.

Don´t you tinder me ….

 

Sofia Franco

(sem filtro)

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s