Desta vez faço tudo errado

foto colinho

Tenho três filhas, a mais recente tem dois meses.

Esforcei-me sempre tanto para fazer tudo certinho como manda o figurino com as mais velhas que o desgaste emocional e físico acabou comigo.

Desta vez faço tudo errado. Desta vez  adormeço-a sempre ao colinho e faço orelhas de burro a quem me venha dizer que estou a habituá-la mal. Se for preciso uma gotinha de Aero-om para acalmar anda sempre comigo no bolso para as ocasiões, e não ligo mesmo nenhuma a quem me venha dizer que  vicio a miúda no doce.

Doce doce é sentir o cheirinho dela bem perto do meu nariz e  esse é o meu verdadeiro vício. Quero aproveitar esta minha maternidade sem culpas ou receios.

Desta vez ela  dorme a noite toda no meu abraço. Acordo de manhã com o braço dormente  mas com o coração cheio e o sorriso dela ao despertar vale por mil dormências. Eu cá não sou dada a termos e não sei se é co-sleeping e não defendo que deva ser assim ou assado . Faço porque preciso de dormir e ela sente-se bem ali, e se as mais velhas sempre correram para a minha cama a meio da noite, esta de certeza não vai ter de correr porque a cama já é dela, sempre. Ela vai crescer  num instante. Num instante está a andar, num instante já corre, num instante já mete rebuçados ao bolso e num instante já se veste sozinha. Num  instante deixa de ser bebé.

Desta vez até dou de mamar e dou em qualquer lado, no restaurante fino ou no banco do jardim. Que me olhe de lado quem tem de olhar, eu olho de frente quem me afrontar. Mas também já dei biberão porque há alturas em que dormir quatro horas é importante,e  a minha saúde e sanidade ainda têm de estar em primeiro lugar. Para sermos cuidadores é preciso cuidar do nosso corpo e da nossa mente, por isso se tiver de sair entrego-a ao cuidado do pai e calço o salto alto só por umas horas.

A verdade é que esta minha terceira, embora não seja “peanuts” também não é um bicho de sete cabeças e os dois meses que já passaram até foram tranquilos, apesar de estar com as mais velhas em casa e ter de me desdobrar por vezes em três tem sido uma maternidade mais calma, tirando o stresse a intensidade do costume.

Sempre mas sempre o mais importante, seja o primeiro ou o quinto é nunca mas nunca duvidar das nossas capacidades. E se para conseguirmos tivermos de fazer tudo errado, pois então um grande viva a todas as mães que fazem tudo errado porque certamente é muito mais difícil que fazer tudo “by the book” que “by the way” eu nunca li …

 

Sofia Franco

(sem filtros)

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s