O que ninguém te diz sobre a maternidade

img_4129

A maternidade não são só rosas e risos.

Há dias em que não apetece levantar. Há dias em que tudo o que queres é que ninguém te acorde às sete da manhã para ligar a televisão, preparar o pequeno almoço ou fazer xixi. Também há noites que não dormes , por uma febre, uma dor de barriga ou uma virose qualquer. Há dias e noites assim.

Não vou mentir e dizer que é sempre fácil, que  não há dias em que penso como seria a minha vida sem filhos. Que não fico pasmada a olhar pela janela sem vontade de despir o pijama.Também tenho dias desses, dos difíceis, dos que apetece hibernar em casa, esconder a vida debaixo de um cobertor e dar uma caneca de café à mente. Tem dias em que é necessário que se faça um esforço, claro que sim .

Ninguém te prepara para o que sentes nos dias maus , nos dias em que colocas em causa a tua vocação como mãe, porque ninguém te disse que iam haver dias assim . Passaste nove meses a preparar-te para os risos e rosas da maternidade, não te avisaram dos espinhos e das lágrimas .Diziam-te que ser mãe é o melhor do mundo , que é uma alegria tão grande ter um bebé e não te avisaram que ias passar noites sem dormir, que dar de mamar dói, que vais sentir-te fraca e cansada muitas vezes.

Olhas para ti , sem ter tido tempo para tomar banho ainda, e não te lembras da última vez  que comeste, passaste o dia a trocar fraldas e a dar de mamar . Estás cansada e deixas cair uma lágrima. E é nesse momento que devias saber que é normal e justo que te sintas assim.

Não és má mãe, não és má pessoa.

É uma realidade que não vês nas redes sociais , não é o cenário perfeito para uma selfie , não consegues dançar nem vestir as calças na semana a seguir ao parto, talvez consigas no mês seguinte , ou no ano seguinte. Um dia vais conseguir.

Mas é importante que saibas que é normal que te sintas triste em alguma altura do teu dia, que te sintas inútil em alguma altura da tua nova vida, que queiras estar sozinha mais vezes , que sintas falta do silêncio e de comer chocolate (não precisas de o fazer às escondidas). Também deves saber que podes escolher, dar de mamar ou não, é uma escolha tua e não afetará a tua capacidade de ser mãe. Ficar em casa ou ir trabalhar mais cedo, é uma escolha tua e não é por isso que amas menos o teu filho. Já agora dou-te um conselho: sai mais vezes, vai ao centro comercial, passa tempo sozinha. Podes fazê-lo, tens esse direito, encontrar um equilíbrio entre o eu e o nós não tem de ser difícil. Não te compares com o que vês, aceita o que és e adapta-te. Sem pressa, tira tempo para aprenderes a ser mãe, chora quando tiveres de chorar para que possas rir em todos os outros momentos. Aprende a relativizar e aceita que nem tudo corre bem.  É mesmo assim. És mãe mas não deixas de ser mulher. Acima de tudo, és humana.

 

Sofia Franco

(sem filtros)

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s