Até já querida Bá

Querida  Bá (variante de Bábá ou Barbarella), daqui a pouco passo aí para te dar um beijinho, o último nesta vida, e antes que a as mãos me tremam e as lágrimas me turvem a visão quero dizer-te isto:

Desculpa não ter estado mais presente. Deixei que a vida se metesse no nosso caminho deixando para trás as miúdas que comiam torrão de Alicante a qualquer hora , que estavam juntas em qualquer lugar, para passarmos a ver-nos em aniversários, festas, casamentos e batizados. E o nosso jantar de Natal. Devia ter-te ligado mais vezes. Havia em nós o conforto de sabermos que estávamos perto, que os nossos filhos cresciam habituados a nós , mas querida Bá, roubaram-nos o tempo, impediram-nos de continuar a crescer e deixaram-nos sem a bússola que nos indica o Norte.

Achei que estava imune à dor, sei o que é  perda , o processo e as fases do luto. Achei-me maior que a morte só para agora me encontrar no chão, despida e rendida. Não sei nada. Não sou nada.

E mais logo, quando passar por aí , vou estar como todos os nossos amigos, amputada, incrédula e incapaz , mas serei por ti a fortaleza que o amor da tua vida precisar. Vou de muletas mas ergo-me por eles, os teus tesouros, que saberão sempre o que é o amor, que te levarão para sempre nos seus corações maiores que o Mundo.

Não me conformo com a crueldade humana, com a forma vil e impiedosa  com que te levaram o sorriso, esse que nos contagiava e desarmava. Irei sempre lembrar-me de ti , com um olhar cheio de ternura, com as palavras sempre doces, com a tua alegria natural.

Estarás sempre aqui connosco e perdoa-me a escassez de palavras porque nem todas as palavras do mundo conseguirão algum dia descrever o que me custa neste momento respirar. Vou dar um beijinho à tua mãe, ao teu marido e aos teus filhos.

Dá um beijo ao teu pai e já agora se conseguires diz ao meu pai que gosto muito dele.

Até já querida Bá.

 

 

Sofia Franco

Habemus Oscares !!!

Ontem foi noite de Óscares, não perdi o sono nem tive insónias por isso só fui “cuscar”  os vestidos hoje. Ainda bem que não fiquei acordada até tarde porque para ver desgraças sinceramente não valia a pena!  sabem a expressão “sonhos cor de rosa”? Houve alturas em que até achei que ainda não tinha acordado e estava a sonhar com marshmalows.

Destaque para a senhora aqui em baixo , que esteve muito bem , apesar de também em rosa. A  simplicidade do vestido cai bem e não podemos esquecer que já não vai para nova, mesmo assim meteu muitas a um canto!

91st Annual Academy Awards - Arrivals

Dos rosa passamos para os dourados e metalizados que pouco me convenceram também Pessoalmente e apesar de já ter visto criticas favoráveis não gostei do vestido da Jennifer Lopez , acho que o brilho do vestido ofusca o seu próprio brilho, apesar de morrer de inveja das curvas dela.

O da Brie Larson não é mau de todo, mas mesmo assim não dava um rim pelo vestido

Destaque no entanto para a Glenn Close cujo estatuto já lhe permite usar qualquer coisita.

vip-pt-37593-noticia-oscares-2019-avaliamos-os-vestidos-das-celebridades-o-melhor-e-o-pior-da-noite_3

Para mim os vencedores foram os vestidos mais simples, mais uma prova que para ser elegante não precisa ser complicado !

Os meus preferidos ficam quase sempre entre o branco e o preto e esta noite não foi excepção ! Lady Gaga estava perfeita neste modelo de Alexander MacQueen em preto e  Regina King neste modelo de Oscar De la Renta estava simplesmente deslumbrante

Por último a minha menção “horrorosa” vai para Olivia Colman cujo modelito está assim ao nível de um cortinado de péssimo gosto e como não discrimino género , se a moda pega “deus nos valha”, vejam bem o elegante vestido preto de Billy Porter.

vip-pt-37579-noticia-oscares-2019-os-vestidos-da-noite-brilho-e-glamour-na-grande-festa-do-cinema_10billy_porter_JG78FpU

 

Xau Xau ! (é arroz )

Sofia Franco

(sem filtros )

 

Quem é a portuguesa que quer embarcar na proxima expedição Fjällräven Polar?

 

liliana

Conheci a Liliana por acaso, mas assim que pus os olhos nela que soube que tinha algo de diferente. E não me enganei. A Liliana só tem 29 anos mas já correu o mundo sozinha de mochila às costas, vem de uma cidade do interior mas os seus sonhos são do tamanho do Mundo. Pedi-lhe que me contasse um pouco do que já viveu, por onde passou e do que a faz feliz. Não hesitou: os animais e viajar.

Liliana é enfermeira veterinária de profissão, por influência dos seus pais que eram agricultores .Foi há quatro anos que  descobriu que  o seu”bichinho” era mesmo viajar.  Decidiu fazer ouvidos surdos à voz da razão e partiu para a sua primeira viagem a solo  com destino à Indochina. (Vietnam,Cambodja e Laos).

Já viu muito do mundo desde essa data , Tailândia, Myanmar, Austrália. Fiji, Marrocos, Singapura entre tantos outros destinos… Para financiar as suas viagens, a Liliana junta todos os trocos  que consegue e  chegou mesmo a trabalhar nos países de destino como na Austrália, quando o dinheiro chegou ao fim.

Diz que passa horas entretida em planear as suas viagens, sempre de sorriso na boca, mais ou menos o mesmo sorriso que agora tem quando fala da expedição ao Artico Polar Fjällräven Polar, o seu próximo desafio.

“É uma experiência única na vida, algo que se conseguisse conquistar me faria superar a mim mesma , pois na verdade não sou grande amante do frio, e também é por isso que quero tanto ir , para lutar contra a minha fraqueza!”, explica-me a Liliana

Esta expedição é patrocinada pela marca de equipamentos para o ar livre com o mesmo nome e destina-se a “pessoas comuns” que percorrerão os 300km num trenó puxado por cães.

Para ter lugar na expedição Liliana precisa de ser selecionada como uma das representantes da região. A selecão é feita por número de votos. Este ano a Liliana é a unica candidata feminina à expedição.

Confessa que esta sua paixão por viajar e superar-se a si mesma já lhe trouxe alguns dissabores nas suas relações pessoais:

“Criticam-me porque em vez de constituir familia, comprar casa e ter filhos, decidi viajar”, diz Liliana. ” Mas não me importo com a opnião das outras pessoas quando sei que faço o correcto e não faço mal a ninguém.”

Reconhece que viajar mudou o seu ponto de vista sobre tanta coisa, tornou-se menos materialista, mais preocupada com a poluição do planeta e menos fútil.

“Faz-me confusão ouvir as pessoas queixarem-se do que têm quando já passei por tantos sitios onde as pessoas não tinham nada e ainda assim me ofereciam  o pouco ou nada que tinham.”

Fiquem a conhecer a candidatura da Liliana e não deixem de votar aqui!

liliana 2

“Descobre a tua limitação e ultrapassa-a, luta para te tornar o que queres ser e tem sempre orgulho em ti. A tua motivação e determinação poderá ajudar mais pessoas a ter a coragem de lutar por o que querem!” Liliana Rosa 

Sofia Franco

Sem Filtros

 

 

 

 

 

Ballet e outras”cenas de menina”

Foto de António Casalinho.

(foto facebook António Casalinho)

Foi esta a foto que usei para mostrar às minhas filhas que não há “cenas” de menina nem “cenas” de menino. O António é um menino e dança como gente grande!  Tenho cometido o erro de incentivar as minhas filhas para as típicas ocupações femininas e no outro dia levei um murro no estômago quando a mais velha me diz que o futebol é coisa de meninos. “Coisa de meninos”? Caraças, tenho feito tudo ao contrário! Esforcei-me para lhe explicar que pode ser o que quiser, fazer o que quiser e que não é por ser menina que terá menos oportunidades que os meninos. Estamos a falar de putos na escola , não pode haver “cenas de menino ou de menina”.

Mas ela é observadora e até já foi ver jogos de futebol e claro não há meninas, nas cadernetas dos cromos não aprecem meninas a jogar futebol, só meninos.

Valeu mais uma pesquisa na net , mais uma conversa séria sobre como as mulheres são importantes na sociedade e como são capazes de fazer ou ser o que quiserem desde que queiram e se empenhem. Estive quase para a inscrever numa escola de futebol para crianças mas querem ver a estupidez: é só para meninos ! ou pelo menos, esta era…. “pois, é que sabe há competições e as equipas não são mistas,,,,”

Anda uma mãe a criar uma filha para a igualdade de género e depois é isto o que se vê!

Por isso…. parabéns António pelo prémio merecido e por me ajudares a mostrar às minhas filhas que o ballet não é só para meninas.

Parabéns António por seres empenhado e persistente e por levares tu também o nome de Portugal ao Mundo.

Parabéns aos pais do António por terem apoiado o filho numa atividade que muitos considerariam estranha para um menino. Aplaudo de pé !

Quanto a nós , portugueses  devíamos estar orgulhosos e aprender com as evidências. Somos bons , somos grandes , por isso deixemo-nos de “merdas” e vamos educar para a igualdade, seja o puto que quer dançar uma musica lamechas ou a miúda que quer esfolar os joelhos a jogar futebol, porque neles pode residir o talento e o talento não olha ao sexo .

Sofia Franco

(sem filtros)

 

 

 

Porque é que estamos todas a torcer pelos mauzões?

 

la casa de papel

A série é mesmo viciante! E pensar que até há duas semanas era completamente ignorante em relação ao tema, não conhecia o Professor , nem o Berlim, nem o Rio. Para mim Tóquio e Nairobi eram só cidades. Nunca mais!

Enfim , a minha vida nunca mais será a mesma! Estou quase a acabar a segunda temporada e continuo a torcer pelos mauzões. Torço por eles desde o início. Quero que enganem a policia, que fujam para  as caraíbas cheios de “guita” e se possível , cada um com a sua cara metade, seja refém, assaltante com nome de cidade ou policia.

Mas porque é que estamos todas a torcer pelos mauzões?

Em primeiro lugar há esta atracção histórica que as mulheres têm pelos maus da fita. O mauzão é sempre sexy pela sua rebeldia, pela coragem e pelo seu despreendimento.

Gostamos dos mauzões pronto! Dão-nos luta e nós gostamos!Mas as personagens desta série estão muitos níveis acima da simples figura de “mau da fita”. Vimos em todas elas características que nos atraem muito além de uma simples atracção física, e é por isso que não conseguimos tirar os olhos do écran e mesmo que tenhamos de segurar os olhos com um palito continuamos a ver pelo menos só mais um episódio.

O Professor por exemplo tem aquela genialidade rara que nos faz tremer, não é giro por aí além, mas é tão sexy…. o tipo é um leão mascarado de gatinho… e isso vamos ser sinceras, dá cabo de nós não dá?

As outras personagens são igualmente ricas em carácter e qualidades, que a bem dizer podiam usar para fazer o bem, todas teriam carreiras de sucesso no mundo real e ganhariam rios de dinheiro, se ao menos não optassem pela vida do crime! E por falar em rios, o Rio? Dios Mio ….  quase que temos de lhe pedir para não se rir para não nos derretermos todas…. .

E para nos matar do coração e pregar os pés, ou melhor a “bunda” no sofá, juntam-se aqui aos mauzões cheios de carácter as histórias de amor,  de homens mais novos com mulheres mais velhas, de policias com ladrões, de reféns com assaltantes, de companheiros de armas e de pais por filhos…Está tudo ali! A coragem, o medo, o amor , a amizade, as emoções à flor da pele, o suspense  e é por isso que no fim queremos todos que ganhem os mauzões! Porque afinal somos pelas histórias de amor, somos pelas virtudes, somos pela justiça, somos pela coragem, somos pelo carácter,somos pela sinceridade e somos pela liberdade.

Parece estranho ? então assista a série! Aproveita para fazer um curso de espanhol intensivo e no fim diga-me se não concorda comigo!”és un puto ninja con ganfas!”

Sofia Franco

(sem filtros)

Quando o preto é muito mais que apenas preto

óprah

Homens e mulheres vestidos de preto. Foi assim a última gala dos Globos de Ouro. Em sinal de Protesto. Protesto pelo assédio sexual, neste caso em Hollywood.

Eu não estive lá, não sei se é verdade ou não. Mas há uma coisa que eu sei, aqui ou em Hollywood o assédio sexual existe, pela simples condição feminina acreditamos a achar que há muitas atitudes masculinas que são normais.. porque somos mulheres e eles são homens….

Mas, estas mulheres e estes homens fizeram-se ontem ouvir,  gritaram bem alto sem dizer nada, que Basta. Não é tudo normal, não é tudo permitido a quem se acha numa posição de superioridade. O assédio é um sinal de fraqueza,  de espírito, fraqueza de carácter, a arma dos cobardes.

Aqui como em Hollywood não existe só assédio sexual, existe assédio moral, discriminação, racismo e tantas outras palavras pouco dignificantes  da humanidade.

Que o protesto se faça ouvir, para que aqui como em Hollywood possamos acreditar num Mundo mais  humano, sem sexo, sem cor, sem religião.

 

Sofia Franco

Sem filtros

  • imagem lux.pt

 

E sobre a politica nacional…. “no more comments”….

850_400_joana-amaral-dias-fb_1506281593

Não gosto de me envolver em politica mas achei esta noticia curiosa. Ou sou mesmo muito feia ou não ando no mesmo metro, comboio ou autocarro que a Joana Amaral Dias. É que apesar do tráfego intenso, nunca desde que andava na faculdade me aconteceu situação semelhante. Zona só para mulheres ? Então eu estou a educar a minha filha a ser o que quiser sem na vida, sem se preocupar com o género   para depois ela ir no metro sentada numa carruagem só para mulheres? Joana, então e as mulheres não assediam outras mulheres? No more coments…

Sofia Franco

( sem filtro)

Reportagem completa e foto em  www.buzztimes.pt

 

 

 

Miguel e Sinatra – Uma história que conheci

 

 

21433046_885990211567326_4755962822665347265_nHá uns meses atrás numa sala de formação conheci uma pessoa que se destacava claramente no meio de todas as outras, havia ali qualquer coisa que a diferenciava.

Passadas algumas horas tive o privilégio de privar com ela e perceber que estava diante de uma mulher à partida igual a qualquer uma de nós, mas que na verdade era muito mais do que eu. Senti-me pequena e fútil quando tivemos que falar sobre os nossos objectivos e o motivo pelo qual estávamos ali.

A Mafalda Faustino Vaz é mulher, esposa, mãe, forte, sincera e dona de um sentido de humor muito próprio. E só uma mulher assim poderia ser uma das protagonistas de uma história tão especial. Enquanto mãe deparou-se com o diagnóstico de um filho autista. Enquanto mulher encarou um diagnóstico, como isso, um diagnóstico, arregaçou as mangas e encontrou no seio da família a solução para que o Miguel fosse mais feliz.

A Mafalda e a família contaram a história, a Mónica Menezes escreveu. Real, sem lamechices, mas com muito amor.  “A história verídica de um exemplo nacional de como é possível ultrapassar dificuldades com um amigo de 4 patas”.

No passado sábado, num evento à altura na Fnac do Colombo o livro foi lançado, eu estive por lá e acreditem que valeu muito a pena.

21697901_10212159522596992_239349029_n

Deixo-vos a sugestão de leitura e se quiserem podem também seguir a página do Sinatra K9, o primeiro cão de assistência de uma criança autista em Portugal . Mas atenção que este não é um livro sobre autismo, é uma história de amor entre uma criança e o seu animal de estimação.

21767549_10212159523277009_78264944_n

Espero que gostem da sugestão…

MB

Sem filtro

 

Beleza não tem estrias( ou tem?)

tais

 

http://activa.sapo.pt/celebridades/2017-09-02-Tais-Araujo-posa-nua-e-recusa-retoques-nas-dobras-e-estrias

Cada vez mais existe um movimento de aceitação por todo o Mundo e mulheres lindas que recusam “retoques” nas suas fotos são felizmente um numero a crescer!
ela é linda certo? Ninguém tem dúvidas pois não? quem é que reparou nas suas estrias??? eu não…

 

Que atire a primeira pedra, quem nunca?

 

visao.sapo.pt/…/2017-08-05-Abdicaria-deles-sem-pestanejar.-Ter-filhos-foi-um-erro.-O-que-dizem-as-maes-que-preferiam-nao-ser

Deparei-me com esta reportagem ontem de manhã e não lhe dei muita importância, pensei para mim mesma” Nada de novo”.
Não fiquei chocada, não me apeteceu fazer comentários. somos como somos e cada um sabe de si. Foi apenas à noite quando ao jantar com uns amigos um deles me alertou para a reportagem e perguntou se eu a ia comentar, que me caiu a ficha. Para mim não é tema, respondi. Somos seres humanos, somos mulheres, há as que querem ser mães e há as que não querem e assumem. Há depois entre umas e outras as que são mães por acidente, sem querer, outras que foram e continuam a ser obrigadas a desempenhar esse papel como a uníca função para que vieram ao mundo.

Os seres humanos erram, as mulheres também.

Ser mãe é mais do que ter filhos. Ser mãe é mais que gerar uma vida. Se existem dias em que eu gostava de não ser mãe? Claro que sim! Ser mãe é ter para sempre uma responsabilidade enorme, gigante em nós. Vivermos com medo todos os dias que algo aconteça. Sermos leoas quando queremos ser ratinhos. Ter filhos é para a vida toda e muito para além dela. Porque não havemos de acreditar que há mulheres que simplesmente não querem ter filhos? Porque nos choca que existam mulheres que nunca os tenham tido por opção? Lembro-me ainda grávida da minha filha mais velha que muitas vezes pensava como é que podia haver mulheres que gostam daquele estado de gravidez? Como podiam gostar dos enjoos diários, do peso nas costas, de não se conseguirem dobrar para apanhar os sapatos? Não confundo de forma nenhuma o desejo ou arrependimento destas mulheres com a falta de amor ou competência para serem mães. Acredito do coração que cada uma delas faz o melhor que sabe e pode, tendo consciência que podem não ter tido outra opção, e que se fosse hoje provavelmente teriam decidido de forma diferente e, mesmo assim, tenho a certeza que não há amor maior como o que sentem pelos filhos. É perfeitamente legitimo que se possam ter arrependido, sejamos sinceras, quem nunca em dia algum não sentiu já uma pontinha de arrependimento?

Pode atirar a primeira pedra, quem nunca.

 

Sofia Franco

(Sem filtro)